09/10/2017
102 membros da “Tribo Perdida - Bnei Manassés” regressam a Israel após 2.700 anos de exílio
Os membros dessa comunidade, residente na Índia, alegam descender de judeus expulsos de Israel para a Índia no 8º século a.C.

Ao longo dos últimos anos tem se intensificado o movimento de retorno a Israel de judeus que estavam espalhados por diversas nações do planeta. Desde 1948, quando o Estado israelense foi reconhecido – e o número de judeus no território era de apenas 800 mil – o aumento da população é de cerca de 5,2 milhões, um crescimento de 650% aproximadamente.
Esse movimento, para muitos estudiosos, representa o cumprimento de uma profecia do Velho Testamento, quando diferentes profetas – Isaías, Jeremias e Ezequiel – anteciparam esse movimento.
Isaías 11:11,12 “Naquele dia o Senhor estenderá o braço pela segunda vez para reivindicar o remanescente do Seu povo que for deixado na Assíria, no Egito, em Patros, na Etiópia, em Elãi, em Sinear, em Hamate e nas ilhas do mar. Ele erguerá uma bandeira para as nações a fim de reunir os exilados de Israel; ajuntará o povo disperso de Judá, desde os quatro cantos da Terra.”
Jeremias 31:38-40 “Estão chegando os dias, declara o Senhor, “Em que esta cidade será reconstruída apara o Senhor, desde a Torre de Hananell até a Porta da Esquina. A corda a medir será estendida diretamente até à Coluna de Garebe, indo na direção de Goa. Todo vale, onde cadáveres e cinzas são jogados, e todos os terraços que dão para o Vale do Cedrom a leste, até a esquina da Porta dos Cavalos, serão consagrados ao Senhor. A cidade nunca mais será arrasada ou destruída.”
Ezequiel 11:17 “Portando, diga: “Assim diz o Soberano Senhor: Eu os ajuntarei dentrea as Nações e os trarei de volta das Terras para onde vocês foram espalhados, e lhes devolcerei a Terra de Israel.”
Nesta terça-feira, dia 14 de fevereiro, 102 membros da tribo "perdida"Bnei Manassés estarão chegando a Israel, constituindo o maior grupo dos assim-chamados "judeus perdidos" a retornarem (aliyah) para Israel.
Os membros dessa comunidade, residente na Índia, alegam descender de judeus expulsos de Israel para a Índia no 8º século a.C. O retorno destes judeus está sendo organizado pela "Shavei Israel", uma organização filantrópica sediada em Jerusalém e que se auto-denomina como "a única organização judaica que está atualmente alcançando os 'judeus perdidos', num esforço para facilitar o seu retorno a Israel."
Em 2005 o rabino-mor de Israel Shlomo Amar, reconheceu oficialmente os "Bnei Manassés" como "tribo perdida", e, desde aí, cerca de 1.700 membros dessa comunidade mudaram-se para Israel antes do governo israelita parar de lhes conceder vistos. O governo reverteu posteriormente esta decisão, possibilitando-lhes novamente o retorno a Israel. Os últimos membros a chegar a Israel são oriundos do estado de Mizoram, no Nordeste da Índia, sendo os primeiros membros desta comunidade a fazerem "aliyah"desde Janeiro de 2014.
"Ao longo deste próximo ano, com a ajuda de Deus, iremos trazer um total de mais de 700 imigrantes "Bnei Manassés" para Israel - a maior ponte aérea num único ano", anunciou Michael Freund, fundador e presidente da organização "Shavei Israel."
"Após 27 séculos no exílio, esta tribo perdida de Israel está realmente voltando para casa. Mas não descansaremos até que os restantes "Bnei Manassés" ainda na Índia possam também fazer 'aliyah'", afirmou Freund.
Trinta dos 102 membros deverão ter chegado hoje a Israel, sendo que os restantes 72 deverão chegar no próximo dia 16. Estes novos imigrantes irão viver em Nazaré Illit, onde já existe uma grande comunidade "Bnei Manassés."